}

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

[ANÁLISE] A instabilidade das cousas do mundo - Gregório de Matos

Por Amanda Medeiros


Olá leitores e leitoras! Hoje vim fazer uma breve análise de um poema do início da literatura Brasileira. O poema a seguir é um poema do movimento Barroco no Brasil e o autor, Gregório de Matos é muito conhecido pela sua ousadia da época e por muitos chamados de o "poeta da boca do inferno" por causa dela. Gregório de Matos ainda é considerado o maior poeta barroco do Brasil e o mais importante poeta satírico da literatura em língua portuguesa.
A instabilidade das cousas do mundo

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas a alegria.

Porém se acaba o Sol, por que nascia?
Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza
A firmeza somente na inconstância.


O poema acima, quanto à sua forma é classificado como soneto, cuja característica é conter dois quartetos e dois tercetos. Os versos são decassílabos, ou seja, os versos possuem 10 sílabas poéticas cada um e os quartetos rimam entre si, bem como os tercetos também rimam entre si porém há um verso branco. Segue o esquema de rimas do poema: (ABBA, ABBA, CDE, DCD).

O poeta utiliza a temática da passagem do tempo, a instabilidade das coisas, a inconstância da natureza, da condição humana, as incertezas da vida e a transitoriedade dos fatos cotidianos. Há a presença de figuras de linguagem como metáforas, antítese e paradoxo, sempre ligadas à questão  de ideias contrárias como a questão Claro X Escuro, características do período barroco.

Um ótimo poema para se pensar em como as coisas passam em nossas vidas e sobre como elas mudam com o passar do tempo. Uma poesia escrita no século XVII e que até hoje é muito atual. Não é por nada que Gregório de Matos foi considerado um dos melhores poetas do período barroco não é mesmo?

Espero que tenham gostado pessoal! Até a próxima!


8 comentários:

  1. Amei seu cantinho já estou seguindo, estou começando agora como blogueira gostaria que visitasse minha pagina e me seguisse, obrigada bjsss
    http://josianecavalli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Esse é o meu soneto preferido desde a adolescência. Acho maravilhoso!

    Beijo,
    Brenda
    https://sobrelivrosetraducoes.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ótimo ADOREI, super recomendo!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei explicação e resumida, fácil entendimento.

    ResponderExcluir